:: GATMO Grupo de Apoio ao Transplantado de Medula Óssea ::

Indicação de TMO para doenças auto imunes


Os pacientes portadores de doenças auto imunes, como artrite reumatóide, esclerose múltipla, lupus eritematoso sistêmico, doença de crohn, etc., não responsivas aos tratamentos imunossupressores convencionais, podem ser candidatos ao transplante autólogo como parte do protocolo de estudo. Resultados favoráveis foram descritos, e a eficácia terapêutica parece resultar não só da imunossupressão em alta dose, mas também da reformulação do controle imunológico anormal subjacente. Atualmente, estão sendo planejados trabalhos prospectivos randomizados para comparar com os tratamentos convencionais.

Indicação do TMO para tratamento de tumores sólidos

Existia um grande entusiasmo para utilização de transplante nos tumores sólidos, porém apenas um pequeno número de pacientes alcançou benefício. O uso de quimioterapia em altas doses para tratamento de câncer mamário metastático, seguido de resgate com células tronco, pode resultar numa taxa mais alta de resposta completa em relação ao tratamento convencional.No entanto, a sobrevida nesses pacientes sensíveis à quimioterapia é de apenas 10% a 25%, e nenhum benefício de sobrevida global foi ainda demonstrado. Como resultado, o TMO foi desfavorecido nesta condição.
A quimioterapia em altas doses seguida de TMO tem tido sucesso no tratamento de alguns tumores sólidos sensíveis à quimioterapia, como o câncer de células germinativas extra gonadais e tumores de infância, como neuroblastoma e tumor de Wilms.
Há relato de alta taxa de regressão de carcinoma renal metastático após TMO alogênico não- mieloblativo de células primordiais do sangue periférico, mas esse tratamento deve ser empregado apenas no contexto de protocolo de estudo.






Desenvolvimento e Hospedagem de sites